Viajando pelo mundo

novembro 17th, 2018

Viajando pelo mundo — Canadá

More articles by »
Written by: Flávio Junio
Tags:,
Away-From-Her2

 

Foi em 1906 que surgiram os primeiros cinemas no Canadá, que bem antes disso, em 1897, já havia sido território para algumas projeções cinematográficas. Constantemente escolhidas para filmagens de produções hollywoodianas, as terras canadenses sempre foram alvo de atenção devido a suas belezas naturais e pelo baixo custo para se filmar naquele país. Do começo modesto na era do cinema mudo até a chegada do som e o impulso tomado pela cinematografia do Canadá na década de sessenta, a indústria se resumia a documentários e testes com animações. O fortalecimento da sétima arte se deu pelas mãos de profissionais como Claude Jutra, Gilles Groulx, Arthur Lamonthe e Allan King, que contribuíram para o crescimento e o desenvolvimento técnico cinematográfico. Dentre os novos valores artísticos surgidos no país nos últimos tempos temos a jovem atriz e cineasta Sarah Polley, sobre quem falaremos a seguir:

downloadSarah Polley começou sua carreira como atriz infantil na série Road to Avonlea, desde então foi constantemente requisitada para participar de produções que vão desde a ficção científica eXistenZ, de David Cronenberg, ao drama espanhol La vida secreta de las palabras, dirigido por Isabel Coixet. Nascida em Toronto, acredita-se que seu talento, principalmente para contar histórias, tenha surgido de um drama pessoal. Polley cresceu achando que seu pai era o ator britânico Michael Polley, mas na verdade a mãe de Sarah, Diane Elizabeth (também atriz, e que falecera de câncer quando a filha tinha 11 anos) mentira. Elizabeth envolveu-se com um ator de teatro chamado Harry Gulkin, com quem chegou trabalhar em uma peça. Sarah Polley só conheceu a verdade depois de atingir a idade adulta.
Sua primeira oportunidade em um filme foi aos 4 anos em um longa metragem produzido pela Disney, aos 8 interpretou a protagonista Ramona na adaptação televisiva do conto de Beverly Cleary, em seguida Terry Gilliam a escalou para The Adventures of Barão Munchausen. Apesar do êxito à frente das câmeras, foi como cineasta, já adulta, que Sarah Polley ganhou a atenção da crítica e do público, conquistando o reconhecimento em festivais e até mesmo na Academia de Hollywood. Com Longe Dela (Away From Her), discorreu sobre o amor na idade madura, em detrimento aos dramas pessoais vividos pelo casal Grant (Gordon Pinsent) e Fiona (Julie Christie). Pelo filme, a cineasta em ascensão conquistou uma justa indicação ao Oscar na categoria Melhor Roteiro Adaptado. Mais recentemente ela dirigiu Entre o Amor e a Paixão (Take This Waltz), estrelado por Michelle Williams e Seth Rogen , e participou do belga Mr. Nobody , um drama de ficção científica , de Jaco Van Dormael. Entre os próximos projetos da atriz e cineasta estão Everything Will Be Fine, dirigido por Wim Wendes, onde voltará a atuar — e um projeto pessoal, Stories We Tell, cujo roteiro será inspirado na história de sua família.


About the Author

Flávio Junio
Flávio Junio é bacharel em Teologia, professor e profissional da Secretaria de Educação de Minas Gerais. Ex-aluno do curso Teologia, Crítica e Linguagem Cinematográfica, ministrado pelo crítico de cinema Pablo Villaça, há doze anos integra o coral gospel Kerygma da Igreja Batista da Lagoinha.




0 Comments


Be the first to comment!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *